(51) 3545-4999 | (51) 98111-4999 | (54) 99983-5959

Blog

Novidades e conteúdo exclusivo sobre controle de pragas.

Praticar atividades físicas ajuda a manter o corpo saudável. Porém, sem as devidas precauções, uma academia de ginástica pode se tornar um ambiente propício para infecções de pele e outras doenças.

O problema está na combinação de suor e ar condicionado. A umidade, num local sem ventilação natural, favorece a proliferação de fungos e bactérias. Aprenda medidas para uma higienização adequada desses estabelecimentos.

Fungos e bactérias em aparelhos de academia

Pesquisadores da Universidade Gama Filho, no Rio de Janeiro, coletaram amostras de colchonetes e outros equipamentos em academias cariocas. Os resultados apontaram contaminação em 44,4% das análises.

Alguns selins de bicicleta chegaram a registrar 1,6 mil micro-organismos por cm², sendo que um número superior a cem já é considerado carga microbiana excessiva. O estudo foi coordenado pelos professores João Carlos Tórtora e Adriana Pereira.

Segundo dermatologistas, o contato com superfícies mal higienizadas pode causar alergias e outras complicações. Algumas delas são:

– Conjuntivite;

– Faringite;

– Infecções intestinais;

– Furúnculo;

– Pé de atleta;

– Herpes;

– Impetigo.

As doenças cutâneas são uma preocupação tão grande entre esportistas que a National Athletic Trainers’ Association, dos Estados Unidos, divulgou uma cartilha (em inglês) sobre prevenção e tratamento desses males. De acordo com a entidade, metade das doenças infecciosas contraídas por atletas está relacionada a problemas de pele.

Como evitar contaminação via aparelhos de ginástica

Felizmente, ações simples combatem esses perigos. E as principais delas cabem aos frequentadores de academias.

Todo indivíduo deve levar sua própria toalha limpa, tanto para secar o suor quanto para proteger os assentos. O hábito de compartilhar objetos pessoais não é indicado, pois contribui para a transmissão de fungos e bactérias.

O uso de roupas próprias para exercícios físicos também fornece uma barreira contra micróbios. Caso seja preciso trocar-se no vestiário, recomenda-se levar uma sacola para as peças limpas e outra para os itens suados.

Já os donos dos estabelecimentos devem disponibilizar borrifadores com álcool junto aos aparelhos. Assim, cada usuário pode realizar a higienização antes e após as atividades. Os panos de limpeza têm vida útil curta, então a melhor alternativa é o papel toalha.

Além de faxinas diárias, academias precisam recorrer à sanitização de ambientes a cada três meses, bem como à sanitização de ar-condicionado uma vez por semestre. Esses procedimentos impedem o acúmulo de agentes patógenos, proporcionando um ar mais puro e livre de ameaças.

A Hoffmann possui uma equipe especializada para conduzir o serviço com qualidade e segurança. Entre em contato conosco e solicite um orçamento. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul. Fones: (51) 3545-4999 | (51) 98111-4999 | (54) 99983-5959. Whatsapp: (51) 99749.4400.