Blog

Novidades e conteúdo exclusivo sobre controle de pragas.

O controle de pragas profissional é a maneira mais eficiente para combater e prevenir infestações por baratas, formigas, moscas e outros insetos. O procedimento, também conhecido como dedetização, utiliza químicos de uso controlado, os domissanitários. São esses produtos que garantem a eficiência do serviço.

Porém, vale lembrar que estamos falando de substâncias tóxicas. Por isso, é necessário tomar alguns cuidados na contratação da dedetizadora.

Como garantir uma dedetização segura

A seguir, listamos nove precauções que você deve ter. Essas medidas ajudam a preservar o meio ambiente e a saúde de quem vive num local a ser imunizado. Com o auxílio de uma equipe responsável, a desinsetização ocorre em total segurança. Veja só.

1. Informe-se sobre a RDC 52

A Resolução RDC 52/09 é um documento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O texto define diretrizes para o funcionamento de empresas que atuem no controle de pragas urbanas. Há orientações sobre a manipulação dos produtos químicos, o transporte do material de trabalho e o descarte das embalagens de inseticida, entre outras questões.

Em resumo, a imunizadora deve minimizar o impacto ambiental e sanitário do procedimento que realiza. O objetivo é assegurar a qualidade do serviço. Portanto, quando você procurar uma dedetizadora, pergunte sobre a RDC 52 e veja o que é feito para cumpri-la.

2. Confira se a imunizadora possui licença da Fepam

Toda companhia que ofereça o controle de pragas deve possuir alvará de funcionamento, além de licença da entidade responsável. No Rio Grande do Sul, o órgão que autoriza e fiscaliza esse tipo de atividade é a Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler (Fepam).

O registro junto à Fepam é sinal de que as operações ocorrem de forma legalizada, atendendo às exigências técnicas e respeitando critérios de sustentabilidade. Em outras palavras, a licença é o documento que garante uma dedetização segura em residências, condomínios, indústrias, escolas e estabelecimentos comerciais.

3. Compare orçamentos de dedetização (e desconfie dos muito baixos)

Diversos fatores determinam o preço de uma desinsetização. Entre eles, estão o tipo de espécie invasora, o grau de infestação e o tamanho da área a ser imunizada. Quanto mais complicada for a situação, mais domissanitário será necessário para conter a praga.

Fora o gasto com material, deve-se investir em treinamento da equipe. Os colaboradores passam por capacitações para seguir boas práticas e atender às normas de segurança. Essa despensa também recai sobre o valor final do serviço.

Sendo assim, desconfie de orçamentos muito abaixo da média de mercado. Isso pode significar que a empresa “pula algumas etapas” do processo, pondo em risco a segurança da clientela.

Saiba mais: Quanto custa uma dedetização?
4. Contrate uma empresa que ofereça garantia

Cupins, formigas e baratas conseguem se esconder facilmente. Por mais minuciosa que seja a inspeção, alguns bichinhos costumam escapar à vista dos profissionais.

É por isso que a dedetizadora precisa oferecer garantia do serviço. Caso a infestação continue, os responsáveis pela assistência técnica deverão retornar ao local e tomar as medidas cabíveis para eliminar os insetos remanescentes.

Vale ressaltar que a meia-vida dos domissanitários empregados na desinsetização é limitada. Ou seja: o produto perde o efeito depois de alguns meses. Para manter o lugar sempre seguro, recomenda-se renovar o controle de pragas antes que o prazo de garantia chegue ao fim.

5. Verifique se o domissanitário tem registro na Anvisa

Os domissanitários são mais eficazes que inseticidas comuns porque agem no núcleo da colônia. Eles eliminam as criaturas em qualquer estágio evolutivo, inclusive ovos e larvas. Contudo, os artigos são tóxicos ao ser humano – tanto que a venda e o uso ficam restritos às companhias de controle de pragas.

Exija que a imunizadora utilize apenas produtos registrados pela Anvisa. Essas substâncias foram testadas e, se administradas da maneira correta, não representam risco ambiental. Observe, ainda, se os trabalhadores tomam providências para evitar vazamentos, tais como o isolamento do perímetro.

6. Realize as boas práticas pré-operação

Alguns procedimentos, como a aplicação em gel, podem ser executados sem interferir no dia a dia da casa ou da firma. No entanto, quando a infestação está mais séria, é preciso isolar a área para a pulverização de inseticida líquido.

O local deve ser preparado para a dedetização. Por exemplo, guarde alimentos, utensílios de cozinha e objetos pessoais em armários fechados. Cubra os eletrodomésticos com plástico e remova vasos de plantas.

Para uma desinsetização segura, apenas a equipe autorizada pode permanecer no ambiente. O pessoal veste máscaras de respiração, luvas e outros equipamentos de proteção individual.

Saiba mais: Aplicação em gel mantém insetos longe sem atrapalhar o negócio
7. Siga as instruções de segurança para reocupação do ambiente

Uma dedetizadora séria oferece um manual de recomendações aos clientes. Nesse guia, consta o passo a passo para reocupar o local que passou pela imunização.

Em geral, cerca de 12 horas após a aplicação líquida, já é possível retornar ao ambiente. Nesse momento, você deve abrir as portas e as janelas para fazer o ar circular. Duas horas mais tarde, pode-se reocupar o espaço sem que haja risco à saúde humana.

Plantas e animais domésticos são mais sensíveis, então o prazo para retorno tende a ser de 24 horas. Também se recomenda limpar os cômodos com pano úmido, usando máscara e luvas descartáveis para evitar a inalação de químicos.

Manual de Recomendações

8. Solicite documentos de comprovação do serviço

O Comprovante de Execução do Serviço, ou Ordem de Serviço, formaliza o trabalho prestado ao cliente. Esse documento discrimina os procedimentos executados e a data em que foram realizados.

Além disso, a maioria das empresas contratantes também precisa do Certificado de Execução do Serviço. Trata-se de um item indispensável para legalizar o alvará de funcionamento junto à Vigilância Sanitária.

Por fim, você pode solicitar um relatório técnico de atividade. Esse material lista informações específicas da desinsetização, como os indicadores de consumo dos domissanitários utilizados.

Saiba mais: Como a tecnologia melhora o controle de pragas
9. Confie numa marca de credibilidade

A confiança numa prestadora de serviços pode ser medida pelas certificações. Quando falamos de controle de pragas, um importante indicativo é o Selo de Proteção Bayer. Esse reconhecimento internacional é concedido apenas a grupos que atinjam excelência nas operações.

Outro diferencial é a certificação ISO 9001. Essa é conquistada somente por organizações que padronizem e melhorem continuamente seus processos internos.

A Hoffmann atua segundo uma Política de Qualidade criteriosa. Temos ambas as certificações, pois seguimos manuais de boas práticas e atingimos todas as exigências dos órgãos fiscalizadores. Conte com nossos profissionais para uma dedetização segura e eficiente.

Quer saber mais? Entre em contato conosco e solicite um orçamento para o controle de pragas. Fones: (51) 3545-4999 | (51) 98111-4999 | (54) 99983-5959. Whatsapp: (51) 99749-4400. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios