Blog Imunizadora Hoffmann

Novidades e conteúdo exclusivo sobre controle de pragas.

O mundo todo está sob os efeitos de uma pandemia e, embora algumas atividades tenham parado temporariamente, a alimentação, uma das atividades essenciais da sociedade, continua produzindo, manipulando, preparando e comercializando toneladas de alimentos diariamente. Nesse contexto, reunimos informações de especialistas para que você entenda a importância da sanitização na fabricação de alimentose das Boas Práticas de Fabricação (BPF) no segmento alimentício , desde a indústria até o delivery. Continue a leitura!

Como era o controle de qualidade na indústria alimentícia antes da pandemia?

É importante ressaltar que todas as atividades econômicas ligadas à alimentação, desde a maior indústria até o produtor artesanal, já possuíam leis, normas e diretrizes para regular as operações e garantir um alimento seguro ao consumidor.

Todas as esferas governamentais têm um determinado grau de ingerência sobre a produção e comercialização de alimentos, dependendo do tipo de produto e da sua distribuição comercial. A normatização do segmento tem origem, em geral, na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e no Ministério da Saúde. Para mais informações sobre as leis e normas do setor alimentício, incluindo aquelas que determinam as Boas Práticas de Fabricação, confira o post no link a seguir.

Saiba mais: O que é Food Safety e por que ela impacta na economia

As boas práticas de fabricação no segmento alimentício são medidas que devem ser adotadas, tanto pelas indústrias de alimentos quanto pelos serviços de alimentação, buscando garantir a segurança e qualidade dos produtos, bem como atender a legislação sanitária. A não conformidade pode resultar em penalidades para a empresa ou, inclusive, a suspensão de suas atividades.

A pandemia causada pelo novo coronavírus não diminuiu os cuidados ou processos que garantiam a qualidade do alimento até o final de 2019. Pelo contrário, teremos uma nova percepção sobre o papel das pessoas na segurança do alimento, desde a fabricação até a entrega.

Como o novo coronavírus afeta o segmento de alimentação?

No mês de junho de 2020, a Hoffmann chamou a consultora Cristina Serafini para conversar sobre as boas práticas no segmento de alimentação em tempo de pandemia e entender como o novo coronavírus vai impactar os processos atuais.

Cristina é especialista em boas práticas de manipulação de alimentos e atua na implantação de ferramentas de qualidade e de boas práticas de fabricação, auditorias de conformidade e adequações gerais das empresas alimentícias às normas sanitárias, além de ministrar palestras e treinamentos in company. Desde o início da pandemia, ela já vem atendendo empresas que estão realizando as adaptações necessárias para enfrentar a situação.

Nesta live, que você pode assistir abaixo, Cristina indicou os principais pontos de mudança que a pandemia do novo coronavírus está causando – e deixará de legado – para o segmento da alimentação.

Quer saber o que tem de interessante nessa conversa? Confira nos tópicos os assuntos abordados e assista ao vídeo!

  • Como estão as empresas que já estavam em conformidade com as boas práticas? E as que não estavam?
  • Mudança de percepção: foco não é apenas na contaminação dos alimentos, mas na contaminação das pessoas.
  • Manuais de Boas Práticas: como eles serão alterados com a pandemia?
  • Do fabricante ao entregador: quem são os manipuladores do alimento?
  • Como o consumidor perceberá o risco nos serviços de alimentação?
  • O papel do cliente na fiscalização.
  • Como utilizar as boas práticas de fabricação no segmento alimentício como diferencial durante a pandemia?
  • Delivery: quais os principais cuidados para proteger funcionários e clientes?
  • Restaurantes: como lidar com clientes resistentes às normas?
  • O mau uso de luvas e máscaras: perigo de contaminação e recontaminação.
  • O uso correto dos produtos de limpeza e desinfecção.
  • Como se preparar para fechamentos e reaberturas em função do distanciamento controlado no RS.
  • Como a sanitização pode ajudar indústrias e serviços de alimentação durante a pandemia.
  • O que fazer para enfrentar a pandemia e levar mais segurança ao consumidor.

Assista aqui a conversa da consultora Cristina Serafini com o diretor de marketing da Hoffmann, Emerson Hoffmann.

Não esqueça de pegar seu presente no final do vídeo! O material é fundamental para todos que trabalham no segmento de alimentação, desde a indústria até os serviços.

A sanitização contra o coronavírus no setor de alimentos

A preocupação com fatores de contaminação na indústria e nos serviços de alimentação já existia e, como forma de prevenção, foram criados desde simples protocolos de higienização até complexos sistemas de análise de risco.

Entretanto, com a pandemia, estamos lidando com um novo vírus, com alta taxa de contágio e letalidade. A responsabilidade das empresas quanto às saúde dos seus colaboradores, clientes e fornecedores é muito grande e precisa contar com uma combinação de fatores para garantir o enfrentamento a essa ameaça.

Neste contexto, a sanitização de ambientes representa uma forma muito eficiente de frear as contaminações por coronavírus, uma vez que ela elimina vírus, bactérias, fungos e outros microrganismos que estão no ambiente, tanto nas superfícies quanto no ar.

Saiba mais: O que é e como funciona a sanitização?

É fundamental que a sanitização seja realizada por uma empresa especializada e que os produtos utilizados sejam os indicados pelo Ministério da Saúde e pela ANVISA. Você pode conferir neste link a lista de produtos regularizados.

Além de ter mais de 30 anos de experiência no controle de pragas e mais de 10 anos em sanitização, a Hoffmann utiliza um sanitizante de quinta geração, que não mancha, não é corrosivo, não deixa odores desagradáveis e não tem toxicidade, se respeitadas as recomendações de uso do fabricante.

Medidas preventivas como a sanitização de ambientes podem garantir o bom funcionamento da empresa durante a pandemia, assegurando a produtividade de uma equipe saudável e a segurança dos clientes.

Entre em contato conosco e agende sua sanitização. Fones: (51) 3545-4999 | (51) 98111-4999 | (54) 99983-5959. Whatsapp: (51) 99749-4400. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios

Posts Relacionados