Blog

Novidades e conteúdo exclusivo sobre controle de pragas.

Se ranquearmos as pragas urbanas que mais causam repulsa, provavelmente ratos e baratas disputem o topo da lista. O asco se justifica porque essas criaturas estão associadas à sujeira e ao risco à saúde pública. Mas qual delas é a mais poderosa?

Hoje vamos comparar os dentuços e as cascudas em quatro quesitos: transmissão de doenças, capacidade de reprodução, facilidade em obter alimento e resistência aos métodos de controle. Vale a pena conferir as informações abaixo para saber quem ganha essa batalha. Agora, independentemente do vencedor, uma coisa é certa: se houver infestação, quem sai perdendo é você.

Ratos podem transmitir mais de 50 doenças

No que diz respeito ao perigo à saúde humana, os ratos são a maior ameaça. Eles carregam parasitas que podem causar mais de 50 doenças. A leptospirose é velha conhecida, mas também entram no rol a febre hemorrágica, o hantavírus e até a peste negra. Sim, o mal que dizimou milhões de pessoas na Europa medieval ainda causa vítimas pelo mundo.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), um país chega a gastar 10 dólares por ano em função dos problemas causados por cada rato que possui. Estima-se que o Brasil tenha uma população de 450 milhões desses roedores. Ou seja, estamos falando de um prejuízo anual de 4,5 bilhões de dólares.

Já a barata não chega a transmitir moléstias diretamente. Porém, ela vive em lugares úmidos e escuros, incluindo lixões, tubos de esgoto e caixas de gordura. Esses espaços estão contaminados por bactérias e fungos. Assim, quando o inseto transita por ali, pode carregar os microrganismos e levá-los até o interior de uma casa, por exemplo.

Saiba mais: 10 fatos sobre baratas que vão surpreender você

Baratas infestam qualquer ambiente com rapidez

No quesito reprodução, ninguém segura as baratas. Um único casal pode dar origem a uma prole de 100 mil indivíduos no período de um ano. O ciclo evolutivo fica ainda mais intenso quando há as condições ideais, que são abrigo, calor e alimento.

A zona urbana se tornou excelente para as cascudas. Escondidas no interior das edificações, elas conseguem fugir dos predadores e depositar milhares de ovos. É por esse motivo que uma infestação de baratas se alastra em tão pouco tempo.

Em comparação, os ratos são mais “lentos”. A expansão da colônia vai depender do espaço para fazer ninho e da quantidade de comida disponível.

Num cenário de abundância, a gestação de uma ratazana dura 22 dias, podendo resultar em 13 filhotes de uma só vez. A mãe fica apta para engravidar de novo no dia seguinte ao parto. Fazendo as contas, isso daria mais de 200 rebentos ao fim de um ano.

No entanto, a superpopulação de roedores gera conflitos. Se o território estiver lotado, a fêmea devora as próprias crias para que os restantes possam viver com mais conforto.

Saiba mais: Por que baratas aparecem mais no verão que no inverno?

Ratos e baratas comem de tudo

As pragas urbanas sobrevivem, em parte, porque não são chatas para comer. Tanto ratos quanto baratas têm um cardápio bem variado, que os mantêm fortes e resistentes inclusive nas situações mais insalubres.

Comecemos pelos roedores. Eles possuem a capacidade natural de manter uma dieta balanceada. Pelo olfato, identificam quais ingredientes eles podem atacar e quais devem ser deixados de lado. Aí, papam um pouco de cada alimento, equilibrando as calorias e os nutrientes.

A predileção é por frutas e grãos. No entanto, quando faltam opções, os ratos comem até exemplares da própria espécie, como citamos anteriormente.

E o que dizer das baratas? O menu inclui todo tipo de matéria orgânica. Elas devoram restos de alimentos, papel, madeira, tecidos, cola, fezes e cadáveres. Por essas e outras, você encontra os insetos em aterros sanitários e graxeiras. Já imaginou que nojo se um grupo dessas criaturas resolve migrar para sua cozinha?

Pragas são mais resistentes do que se pensa

O último item do nosso comparativo é a resistência aos métodos de controle. Nesse ponto, baratas e ratos demonstram estratégias de sobrevivência diferentes.

A vantagem dos ratos é o comportamento neofóbico, isto é, o medo de objetos novos. Se você armar uma ratoeira perto do ninho, é bem provável que os felpudos passem longe da armadilha. Além disso, eles sabem identificar os alimentos saudáveis, então dificilmente ingerem comida com veneno.

Saiba mais: Chumbinho não serve para matar rato

No caso das baratas, o principal trunfo está em sua constituição física. A carcaça de quitina é resistente a chineladas. Se o bicho perde uma pata, esse membro se regenera em poucos dias. As estruturas vitais ficam no abdômen, e não na cabeça. Aliás, nem adianta decepar a asquerosa, pois ela respira por espiráculos, orifícios nas laterais do corpo.

Não bastasse tamanha resistência, esses insetos são bastante sensíveis a movimentos bruscos. Um deslocamento de ar pode significar ameaça, portanto eles já correm para o ninho antes que sejam capturados.

Para completar, cientistas da Universidade de Purdue (EUA) afirmam que a barata-francesinha, muito comum em residências e cozinhas industriais, pode tornar-se imune aos inseticidas vendidos em supermercado. Essa característica genética é transmitida aos descendentes, dando origem a superpragas quase indestrutíveis.

Resultado: tanto baratas quanto ratos são um problemão

Sinceramente, pouco importa qual espécie é a mais poderosa. Ratos e baratas são uma ameaça à saúde pública e podem arruinar seu patrimônio em pouco tempo. Ao menos sinal de infestação, você precisa de ajuda especializada.

Infográfico Sinais de Infestação

Os procedimentos de controle de pragas, popularmente chamados de dedetização, são a maneira segura de acabar com o problema. Os profissionais utilizam domissanitários, produtos altamente eficazes no combate aos seres indesejados.

Essas substâncias não são vendidas a pessoas físicas. Por isso, você deve encontrar uma imunizadora licenciada para executar os serviços de desinsetização e desratização.

Saiba mais: 5 dicas para escolher a dedetizadora

No Rio Grande do Sul, a entidade responsável em autorizar e fiscalizar essa atividade é a Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luís Roessler (Fepam). Certifique-se de que a empresa de dedetização esteja com a documentação em dia.

A desinsetização cria uma barreira química no local. Isso elimina focos de infestação e impede que novas baratas se instalem ali. Por sua vez, a desratização utiliza não apenas aplicação química, mas também iscas adesivas e outros recursos.

A Hoffmann tem mais de 30 anos de experiência no ramo. Nossa equipe é qualificada e segue todas as normas de boas práticas exigidas pelos órgãos reguladores. Você pode confiar em nosso trabalho, que acabamos com baratas e ratos em pouquíssimo tempo.

Entre em contato conosco e solicite um orçamento para controle de ratos ou controle de insetos. Fones: (51) 3545-4999 | (51) 98111-4999 | (54) 99983-5959. Whatsapp: (51) 99749-4400. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios