Blog Imunizadora Hoffmann

Novidades e conteúdo exclusivo sobre controle de pragas.

Como fica a limpeza da caixa d’água num imóvel alugado? Essa é uma ação importante tanto para evitar contaminações por microrganismos quanto para preservar a integridade da estrutura. Porém, às vezes há dúvidas sobre quem paga o serviço. Afinal, a conta da limpeza da caixa d’água vai para o inquilino ou para o proprietário?

Hoje vamos explicar quais são as responsabilidades de cada parte na manutenção de uma moradia. Continue conosco e veja, também, quando você deve realizar a higienização do reservatório de água em sua casa.

Limpeza da caixa d’água: inquilino ou proprietário que paga a conta?

Para descobrir quem paga pela limpeza da caixa d’água, inquilino ou proprietário, vamos recorrer à Lei Nº 8.245/91, que dispõe sobre as locações de imóveis urbanos. Ela é popularmente conhecida como Lei do Inquilinato.

O texto oficial trata dos direitos e deveres dos envolvidos num contrato de aluguel, seja locador (proprietário), seja locatário (inquilino). Há trechos específicos sobre as despesas relativas à manutenção do lugar.

Por exemplo, o artigo 22 da lei afirma que o dono do imóvel deve entregá-lo “em estado de servir ao uso a que se destina”. Isso quer dizer que a morada precisa estar higienizada, organizada e com perfeito funcionamento das instalações hidráulicas e elétricas.

Portanto, no primeiro momento, a limpeza da caixa d’água é responsabilidade do proprietário. O locador deve garantir um ambiente saudável e seguro para a pessoa habitar. Vale até mesmo emitir um certificado ou laudo de limpeza que ateste a execução do serviço.

Porém, a partir do momento que o inquilino passa a viver no imóvel alugado, ele assume deveres quanto à conservação do patrimônio. O artigo 23 da Lei do Inquilinato indica que as despesas ordinárias do condomínio são de responsabilidade do locatário, e essa lista inclui a manutenção de equipamentos hidráulicos.

Sendo assim, as próximas seções de limpeza da caixa d’água ficarão por conta do morador, enquanto ele ocupar aquele espaço. Se for de seu desejo ir embora, o indivíduo deverá deixar o local “no estado em que o recebeu”, o que também pode significar gasto extra com higienização do reservatório.

E o conserto da caixa d’água, como fica?

A responsabilidade do inquilino se estende ao conserto e à eventual troca de equipamentos deteriorados. A exceção é quando há problemas mais antigos.

Para ilustrar, digamos que você tenha alugado uma casa. Em poucos dias, aparece uma infiltração no teto do banheiro, decorrente de uma rachadura na caixa d’água. Essa questão provavelmente já estava lá antes da sua mudança, então quem deverá pagar pela manutenção é o proprietário do imóvel. Ele responde pelos “vícios ou defeitos anteriores à locação”, conforme o Art. 22, inciso IV da Lei 8.245/91.

Trata-se de uma lógica parecida com o controle de pragas em condomínios. Se a infestação já existia antes da chegada do inquilino, o locador arca com as despesas. Agora, se os insetos ou ratos apareceram semanas depois de o morador já estar ali, nesse caso é ele próprio quem deve contratar a imunizadora.

Temos um artigo aqui no blog falando desse assunto em detalhes. Acesse o link abaixo e tire suas dúvidas sobre dedetização em imóvel alugado.

Saiba mais: Quem paga pelo controle de pragas em condomínios?

Por que a limpeza da caixa d’água é importante?

Agora que esclarecemos quem paga pela limpeza da caixa d’água numa moradia alugada, vale reiterar a importância dessa ação. O procedimento tem que ser repetido pelo menos a cada seis meses, ainda que não haja sinais de mau cheiro ou entupimento dos canos.

Está até na legislação do Rio Grande do Sul. Segundo a Lei nº 9.751/92, todos os prédios públicos e particulares do Estado devem assegurar os padrões de potabilidade da água para o consumo humano. Quem descumpre essa regra pode receber multa, ou mesmo ter a interdição das atividades, no caso de estabelecimentos comerciais.

Mas por que tanta preocupação? Aqui vão três motivos para você higienizar o reservatório de água periodicamente:

1. Evitar danos materiais

Mesmo sendo tratada, a água da rede de abastecimento não chega completamente limpa à nossa casa. Ela pode trazer algas, barro e minerais que vão se acumulando nas paredes internas do reservatório.

Com o tempo, esses elementos criam uma crosta escura difícil de remover. Quanto maior o acúmulo de sujeira, mais a estrutura fica suscetível a danos, podendo sofrer fissuras e inclusive se romper por completo.

2. Prevenir contaminações

O ambiente úmido também é um lugar onde se proliferam bactérias, fungos e protozoários. Alguns desses microrganismos são agentes patógenos, isto é, transmitem doenças às pessoas.

Imagine tomar banho com água contaminada. Ou pior: usar o líquido para cozinhar os alimentos que você consome diariamente. Há, aí, risco de intoxicação alimentar, gastroenterite e outros males do sistema digestivo.

3. Afastar pragas urbanas

Por fim, a manutenção periódica da caixa d’água assegura que o lugar fique livre de infestações. Nunca é demais reforçar que o Aedes aegypti se reproduz em água parada. E não queremos transformar sua casa num criadouro de mosquitos, né? Muito menos dessa espécie transmissora de dengue, zika e chikungunya.

Além do Aedes, criaturas nojentas como baratas, ratos e pombos podem recorrer ao reservatório para matar a sede. Pense só na sujeirada que elas são capazes de fazer!

Saiba mais: Diferenças entre dengue, zika e chikungunya

Limpeza da caixa d’água: por que recorrer a profissionais

Inquilino que habita uma casa pode até estar acostumado a limpar a caixa d’água por conta própria. Contudo, o ato de esvaziar o recipiente e esfregar as paredes internas ajuda apenas a remover o grosso da sujeira.

Uma empresa especializada vai mais adiante. Junto à limpeza, a equipe utiliza compostos para a desinfecção bacteriológica do reservatório. Esses produtos não danificam as estruturas nem agridem o meio ambiente, mas garantem uma higienização muito mais eficaz, que elimina os patógenos.

Fora isso, os profissionais passam por treinamento específico para trabalho em altura. Eles observam todas as normas de segurança e usam equipamentos de proteção para prevenir acidentes.

E, claro, tem a emissão do laudo do atendimento prestado. Esse relatório é útil para comprovar que a limpeza da caixa d’água no imóvel alugado está em dia.

Precisa de mais informações? Entre em contato com a Hoffmann e solicite um orçamento para higienização de reservatório de água.

Fones: (51) 3545-4999 | (51) 98111-4999 | (54) 99983-5959WhatsApp: (51) 99749-4400. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios

Posts Relacionados