Blog Imunizadora Hoffmann

Novidades e conteúdo exclusivo sobre controle de pragas.

Encontrar um escorpião venenoso em casa com certeza é motivo para pânico. Criaturas desse tipo causam uma ferroada dolorosa e, em algumas situações, o ataque pode evoluir para sintomas mais sérios de saúde.

As principais vítimas são crianças e pessoas idosas. Com o sistema imunológico frágil, elas não têm tantas defesas naturais contra as toxinas. Por isso, podem apresentar sudorese, palpitações, enjoo e falta de ar. Nos casos graves, há risco de óbito.

Felizmente, a maioria das espécies letais não vive no Brasil. De qualquer forma, você precisa se preocupar, pois algumas ameaças continuam rondando a nossa vizinhança.

O artigo de hoje explica melhor essa questão. A seguir, contamos quais são os escorpiões mais perigosos do mundo. Também damos dicas de como evitar infestações. Fique conosco para se informar!

Quais escorpiões são mortais?

Estima-se que haja pelo menos 2 mil variedades de escorpião no mundo. Dessas, apenas algumas dezenas são potencialmente letais a seres humanos.

Isso ocorre porque cada espécie produz uma quantidade diferente de peçonha. Além do mais, as toxinas podem variar de um bicho para outro.

No entanto, como cada organismo reage de uma maneira particular ao veneno, seria impreciso afirmar que determinada criatura tem um ataque mortal. Na verdade, é possível sobreviver à picada mesmo nos casos mais perigosos, desde que haja socorro a tempo.

Fatores como a idade, o peso corporal e o estado de saúde da vítima também são determinantes. Como dissemos anteriormente, as crianças pequenas são mais vulneráveis, pois ainda estão com o sistema de defesa em formação e têm um corpinho frágil.

Já os adultos saudáveis correm menos risco de vida. Se forem picados por um escorpião venenoso, provavelmente só terão que lidar com a dor intensa e alguns sintomas desagradáveis.

Quais são os escorpiões mais venenosos do mundo?

Para você ter uma ideia mais clara de como cada caso é um caso, abaixo listamos sete dos escorpiões mais perigosos do planeta. Há espécies de todos os tamanhos, cores e lugares. Acompanhe:

1. Escorpião indiano vermelho (Hottentotta tamulus)

Escorpião indiano vermelho (Hottentotta tamulus)

Escorpião indiano vermelho (Hottentotta tamulus). Fonte: Meus Animais

 

O veneno desse escorpião é tão poderoso que a vítima pode desenvolver edema pulmonar e vir a óbito em 24 horas.

Encontrado em países como Índia, Nepal, Sri Lanka e Paquistão, o aracnídeo é considerado uma ameaça à saúde pública. Segundo reportagem da National Geographic, a população que mais corre risco são as crianças. Como elas têm o hábito de caminhar descalças pelas ruas de seus vilarejos, acabam pisando sem querer no bicho. O resultado é uma picada dolorosa e que, se não tratada, pode ser letal.

2. Escorpião amarelo palestino (Leiurus quinquestriatus)

Escorpião amarelo palestino (Leiurus quinquestriatus)

Escorpião amarelo palestino (Leiurus quinquestriatus). Fonte: Meus Animais

 

Não confunda essa espécie com o escorpião amarelo que circula pelo Brasil! A variante “palestina” habita principalmente o Mediterrâneo, o Oriente Médio e o Norte da África.

Seu diferencial reside na ótima mira, associada à velocidade. Com uma cauda que mais parece um chicote, o invertebrado consegue dar uma estocada que atinge 130 centímetros por segundo – muito mais rápida que a de outros escorpiões. E o ferrão vai direto ao alvo, sem rodeios.

Já o veneno é uma mistura de neurotoxinas e cardiotoxinas que podem causar um baita estrago à saúde. Não à toa, a criatura recebeu o apelido internacional de deathstalker, ou perseguidor da morte.

3. Escorpião amarelo (Tityus serrulatus)

Escorpião amarelo (Tityus serrulatus). Fonte: Prefeitura de Não-Me-Toque

 

Infelizmente, temos um representante brasileiro na lista dos escorpiões mais venenosos do mundo. Aliás, esse é considerado o mais perigoso da América Latina inteira.

Além da dor intensa, a ferroada dessa praga pode levar a sintomas secundários como náusea e taquicardia. Em algumas situações, também ocorre um fenômeno conhecido como hiperestesia, no qual a pessoa se torna extremamente sensível a qualquer toque, por menor que seja.

Nos quadros ainda mais graves, vêm a dor de estômago, os vômitos e a dificuldade de respirar. O risco de parada cardiorrespiratória é maior nos pequenos e em pacientes idosos.

4. Escorpião negro (Androctonus crassicauda)

Escorpião negro (Androctonus crassicauda)

Escorpião negro (Androctonus crassicauda). Fonte: Meio Norte

 

Esse é um tipo de escorpião muito comum nos desertos. Pode ser encontrado em países do mundo árabe, como Irã, Turquia e Arábia Saudita, além do Norte da África.

Como é um pouco maior que outras variantes, encontra uma gama vasta de presas para se alimentar. O cardápio vai de insetos e aranhas a lagartos e pequenos roedores.

O escorpião negro aparece na nossa lista devido ao comportamento agressivo, que o torna mais perigoso. E, claro, seu veneno é potencialmente fatal.

5. Escorpião de casca do Arizona (Centruroides exilicauda)

Escorpião de casca do Arizona (Centruroides exilicauda)

Escorpião de casca do Arizona (Centruroides exilicauda). Fonte: Hipercultura

 

Agora chegou a vez de apresentarmos o escorpião mais perigoso da América do Norte. Ele é encontrado principalmente nos desertos do Arizona, da Califórnia e de Utah, nos Estados Unidos.

A neurotoxina da peçonha causa uma dor severa, que muitas vítimas descrevem como um choque elétrico. Também pode ocorrer dormência, enjoo e diarreia.

Dependendo da idade e do estado geral de saúde da pessoa atingida, o índice de fatalidade pode chegar a 25%. Felizmente, hoje já existem soros antiescorpiônicos eficazes para esse espécie, reduzindo bastante a possibilidade de morte.

6. Escorpião de cauda grossa amarelo (Androctonus australis)

Escorpião de cauda grossa amarelo (Androctonus australis)

Escorpião de cauda grossa amarelo (Androctonus australis). Fonte: Meus Animais

 

O nome científico da espécie pode ser traduzido como “matador do Sul”. E essa é uma alcunha apropriada, dado o poder letal das neurotoxinas que o bicho inocula.

Após a ferroada, o veneno desse escorpião ataca o sistema nervoso central da pessoa. Isso resulta em paralisia, seguida de parada respiratória.

Embora viva em áreas do Norte da África e do Sudeste da Ásia, esse escorpião é comercializado em outro países como um bicho de estimação exótico. Essa prática eleva o contato do animal com humanos, aumentando os riscos de acidentes.

7. Escorpião negro cuspidor (Parabuthus transvaalicus)

Escorpião negro cuspidor (Parabuthus transvaalicus)

Escorpião negro cuspidor (Parabuthus transvaalicus). Fonte: Hipercultura

 

Sim, o bicho tem esse nome porque consegue espirrar veneno a uma distância de até um metro. Se pega no olho de alguém, a substância pode causar desde cegueira temporária a danos permanentes à visão.

A espécie é nativa do Sul da África e pode chegar a 15 centímetros de comprimento. Ou seja: bem maior que os escorpiões encontrados aqui no Brasil.

Outra curiosidade é que esse invertebrado produz dois tipos de veneno. O primeiro é usado para imobilizar a presa ou emitir um sinal de alerta. O segundo, mais tóxico, só é acionado para capturar criaturas maiores, ou então como estratégia de defesa em casos de vida ou morte.

Em geral, a picada desse escorpião negro não é fatal em humanos. Ainda assim, pode causar sintomas bem desagradáveis, como dor intensa, sudorese, salivação excessiva, convulsões e palpitações cardíacas.

As principais espécies de escorpiões no Brasil

Como você viu anteriormente, o escorpião amarelo (Tityus serrulatus) é a grande preocupação de quem vive no Brasil. Junto a ele, existem outras espécies que também merecem destaque.

Podemos citar três delas. O escorpião-preto (Bothriurus bonariensis) tem corpo escuro e patas avermelhadas. Já a característica do escorpião manchado (Tityus costatus) são as extremidades mescladas em marrom e amarelo. Ambos picam, mas sem tanto veneno.

Tem, ainda, o escorpião marrom (Tityus bahiensis). Esse fica restrito às áreas silvestres, como parques e terrenos com bastante vegetação.

Se você quiser saber mais sobre picada de escorpião, acesse o link a seguir. No artigo, explicamos quais são os sintomas, o que fazer em caso de ataque e onde buscar ajuda.

Saiba mais: Tudo que você precisa aprender sobre escorpião

Qual escorpião não é venenoso?

Já dissemos que os escorpiões, inclusive os mais perigosos, nem sempre são letais. Por outro lado, tampouco podemos considerá-los criaturas inofensivas.

O fato é que todas as espécies desse aracnídeo têm alguma quantidade de veneno. Só que a peçonha às vezes é mais fraca, sem tanto potencial para causar sintomas.

De qualquer forma, o ataque nunca passa despercebido. Ainda que você não apresente sinais como sudorese, náuseas e falta de ar, com certeza vai sentir a dor.

Sendo assim, o melhor a fazer é manter distância dessa praga. Até porque escorpiões não atacam seres humanos do nada. Eles só picam alguém quando se sentem ameaçados (o que pode acontecer quando você pisa ou se senta no bicho por descuido).

Hábitos dos escorpiões

Considerando que a melhor forma de se proteger de um ataque é mantendo distância dos escorpiões, seria importante conhecer um pouco dos hábitos desses animais, né? Então separamos informações que podem ser úteis para você. Veja:

O que o escorpião come?

Na maioria das vezes, insetos e outros pequenos invertebrados. Os escorpiões são predadores naturais das baratas, por exemplo. Portanto, onde há infestação das cascudas, logo podem aparecer os temidos aracnídeos.

Algumas espécies maiores de escorpião venenoso também conseguem se alimentar de lagartos e roedores.

Onde o escorpião se esconde?

Escorpiões são animais de hábitos noturnos. Por causa disso, preferem ficar em lugares escuros, como entulhos de lixo e tubulações de esgoto. Dentro de casa, podem se esconder na garagem, embaixo de tocos de lenha para a lareira e até mesmo dentro de sapatos.

A propósito: se você mora numa zona infestada, sempre inspecione seus calçados antes de usá-los para não esmagar um escorpião por engano. Sabe como é, né? A reação de defesa da criatura será a ferroada.

Como o escorpião se reproduz?

Alguns escorpiões se reproduzem por partenogênese. Ou seja: os óvulos da mãe se desenvolvem sem a necessidade de espermatozoide, dando origem a novas fêmeas. Nas demais situações, há a reprodução sexuada, com participação do macho.

A gestação dura em torno de três meses. A fêmea é vivípara, o que significa que os filhotes se desenvolvem dentro dela. Cada ninhada gera em torno de 20 escorpiõezinhos, sendo que uma única mãe pode parir duas vezes por ano.

Um escorpião chega à fase adulta após cerca de um ano. Fatores como a temperatura ambiente e a disponibilidade de alimento são determinantes para acelerar ou frear esse processo.

Como se proteger dos escorpiões venenosos

A esta altura você está sabendo praticamente tudo sobre escorpião venenoso, não é mesmo? Falta somente listarmos algumas medidas preventivas para evitar acidentes em casa. Confira dez dicas para proteger sua família dessa e de outras pragas:

  1. Examine roupas e calçados antes de se vestir;
  2. Afaste camas, sofás e berços das paredes, pois os escorpiões podem se esconder nos vãos e acabar subindo nos móveis;
  3. Mantenha cortinas e lençóis sem contato direto com o chão;
  4. Se for mexer no jardim, utilize luvas grossas para se proteger de possíveis picadas;
  5. Use tampa nos ralos internos, mantendo-os sempre fechados para insetos não subirem pela tubulação;
  6. Instale telas milimétricas nos ralos do quintal;
  7. Evite acumular entulho ou materiais de construção em casa;
  8. Apare a grama do pátio, já que diversas pragas podem se proliferar ali;
  9. Jogue o lixo em latões fechados;
  10. Faça faxina com frequência.

Leia também: Por que as pragas urbanas convivem com o ser humano?

Dedetização para acabar com escorpiões

Vale destacar que as dez medidas apresentadas anteriormente são eficazes, mas não previnem completamente a presença de escorpiões. Se houver infestação na sua residência ou no local onde você trabalha, é importante recorrer ao serviço profissional de controle de pragas e vetores urbanos.

As imunizadoras utilizam produtos de uso restrito para combater os invasores. Essas substâncias também criam uma barreira protetora no ambiente, impedindo que novos insetos e aracnídeos invadam o espaço.

Quando o trabalho é realizado por uma empresa séria, é possível atingir excelentes resultados sem agredir o meio ambiente nem pôr em risco a segurança sanitária. Portanto, escolha uma dedetizadora reconhecida no mercado e que tenha licença da Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luis Roessler (Fepam).

O vídeo abaixo reforça a importância de contratar uma equipe especializada em controle de pragas. Assista e entenda por que esse trabalho não é para amadores!

Precisa de ajuda para combater escorpiões, baratas e outros insetos? Chame a Hoffmann. Temos mais de 35 anos de experiência nesse segmento. Além disso, seguimos uma rigorosa política de qualidade para atingir a excelência em nossas operações.

Entre em contato conosco e solicite um orçamento para controle de aracnídeos.

Fones(51) 3545-4999 | (51) 98111-4999 | (54) 99983-5959WhatsApp: (51) 99749-4400. Atendemos ao estado do Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar por E-mail
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Pinterest

Posts Relacionados