Blog Imunizadora Hoffmann

Novidades e conteúdo exclusivo sobre controle de pragas.

Sabe aquele pozinho castanho que aparece próximo ao batente da porta, nos rodapés e nos móveis de madeira? É cocô de cupim, sinal de que há uma infestação ali. Para contê-la, não adianta usar qualquer veneno nem soluções caseiras milagrosas. Apenas uma descupinização é capaz de afastar as pragas e salvar você do prejuízo.

Hoje vamos explicar como esse procedimento funciona. Fique conosco para saber mais sobre o serviço e com se livrar dos cupins.

O que é descupinização e para que serve

Descupinização é sinônimo do serviço profissional de controle de cupins e pode ter caráter tanto curativo quanto preventivo. Ou seja: além de resolver infestações, ela também cria uma barreira protetora que impede a chegada de novos invasores.

Essa é a maneira ideal de você salvar seu mobiliário da destruição completa. Lembre-se que os insetos se proliferam com rapidez – a rainha pode botar até 3 milhões de ovos por ano. Nesse processo de expansão da colônia, eles vão cavando túneis dentro da madeira para obter alimento. O resultado são estruturas cada vez mais frágeis.

Para piorar, os métodos caseiros que prometem acabar com cupins são pouco eficazes. Até mesmo os venenos comprados no varejo têm efeito limitado. Isso porque essas substâncias dificilmente atingem o núcleo do cupinzeiro. Quando muito, afogam alguns exemplares adultos, mas os ovos permanecem intactos.

É por isso que a descupinização deve ficar a cargo de profissionais. Os técnicos têm conhecimento para avaliar a gravidade da infestação e propor as estratégias mais eficazes de controle.

Dedetização de cupim

Descupinização profissional com injeção focal para combater cupins e brocas.

Saiba mais: O que fazer quando o veneno de cupim falha

Como funciona a descupinização profissional

A descupinização segue basicamente três etapas: investigação técnica, identificação da espécie invasora e aplicação do cupinicida. Entenda cada uma delas:

  • Investigação técnica – Nesse momento a equipe inspeciona o local atingido. É preciso avaliar a extensão física do ambiente, o grau de infestação e os estragos causados. Outro ponto importante é encontrar o núcleo da colônia para eliminar a rainha. Isso interromperá o ciclo de reprodução, tornando a estratégia de controle mais eficaz.
  • Identificação da espécie – Existem diversos tipos de cupins. Os mais comuns na zona urbana são os de solo e os de madeira seca. Cada espécie tem hábitos distintos e reage de forma diferente ao cupinicida. Portanto, é importante conhecer a praga invasora para definir o produto mais adequado à aplicação.
  • Aplicação do cupinicida – Essa é a fase do tratamento. Sabendo quais medidas serão necessárias para o controle dos cupins, os profissionais partem para a descupinização propriamente dita.

A quantidade de veneno e o método de aplicação dependem do caso. Por exemplo, se o objetivo for a imunização de um móvel, é bem provável que se recorra à injeção focal. A calda cupinicida será introjetada com uma espécie de seringa, penetrando nas galerias já escavadas pelos insetos.

Em situações mais graves, com infestação generalizada, pode-se recorrer à pulverização de cupinicida líquido ou ao polvilhamento de uma substância em pó. Essa estratégia costuma ser adotada para o madeiramento fixo, como forros de telhado e decks de jardins.

Saiba mais: Descupinização em Porto Alegre e região – onde encontrar ajuda

O serviço apresenta riscos?

Cabe ressaltar que todos os produtos utilizados por imunizadoras profissionais na descupinização têm registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O órgão estabelece padrões de qualidade para garantir a segurança ambiental da operação. Dessa forma as pragas são eliminadas sem impacto significativo à natureza.

Porém, os cupinicidas podem ser tóxicos à saúde de humanos e animais domésticos. É por esse motivo que a equipe responsável pelo tratamento deve seguir protocolos de proteção. Os cuidados incluem o uso de EPIs e o isolamento da área durante a aplicação da substância.

Algumas horas após a imunização, o local fica liberado para ser ocupado novamente. As pessoas às vezes estranham o odor forte, mas esse cheiro passa em pouco tempo e não representa riscos.

Ainda, a calda cupinicida pode deixar uma coloração escura nas peças de madeira. Essa alteração também é transitória. Quando administrados corretamente, os produtos para tratamento de cupim não causam danos nem prejudicam a aparência dos móveis.

Saiba mais: O que fazer quando encontrar cupins nos móveis de casa

Qual deve ser a periodicidade da descupinização?

Como os cupins penetram fundo na madeira, alguns deles podem escapar do processo de descupinização. Logo, a equipe técnica precisa verificar se há a necessidade de retornar ao local para reforçar a aplicação de cupinicida nas semanas seguintes.

Essa possibilidade deve estar prevista na proposta. Então, fica a dica: escolha uma empresa que ofereça garantia com assistência técnica durante o período. Trata-se de uma precaução para eventuais episódios de reinfestação.

Ah, e aproveite para incluir a renovação do controle de pragas no seu orçamento regular. É que o efeito residual do imunizante dura no máximo um ano e não dez, como pode-se pensar. Depois desse prazo, convém realizar nova descupinização para manter a barreira química sempre ativa. Assim os devoradores de madeira nunca mais vão incomodar você.

Saiba mais: Planejando o calendário de renovação do controle de pragas

Quais outros cuidados ajudam no combate aos cupins?

A descupinização química faz parte de um conceito maior, conhecido como Controle Integrado de Pragas. São práticas para evitar o acesso e o abrigo de insetos dentro de sua empresa ou sua residência. Para o controle específico de cupins, sugerimos as seguintes medidas preventivas:

  • Dê preferência a móveis de madeira de alta densidade, como as madeiras de lei;
  • Instale telas protetoras nas portas e nas janelas para barrar os cupins alados (siriris ou aleluias) em noites de revoada;
  • Não acumule entulho no quintal;
  • Descarte peças de madeira infestadas. Elas não devem ser queimadas, pois podem liberar resíduos tóxicos. Na dúvida, entre em contato com a prefeitura de sua cidade para saber o destino correto dos rejeitos;
  • Monitore vigas, rodapés e outras madeiramentos à procura de sinais de infestação (orifícios, pó ou asas de cupim, por exemplo).

Confira no vídeo abaixo um caso de infestação de cupins de solo em apartamento. Havia poucos sinais externos, mas quando removemos o rodapé a quantidade de cupins era imensa.  Clique e assista!

Saiba mais: Saiba identificar os sinais de uma infestação de cupim

Precisa de descupinização? Chame a Hoffmann!

E aí, gostou do artigo de hoje? Esperamos que o conteúdo tenha ensinado a você um pouco mais sobre o serviço de descupinização.

Se você tem mais dúvidas sobre esse tema, aproveite para baixar gratuitamente a nossa cartilha com as 50 dúvidas mais frequentes sobre cupins respondidas por especialistas. Basta clicar no banner abaixo e seguir os passos para receber o material de forma gratuita.

Download cartilha com as principais dúvidas sobre cupins

A equipe da Imunizadora Hoffmann está preparada para atuar na prevenção e no combate a pragas. Temos mais de 30 anos de experiência no ramo, além de uma sólida política de qualidade. Conte conosco para se livrar das infestações!

Entre em contato e solicite um orçamento para descupinização. Fones: (51) 3545-4999 | (51) 98111-4999 | (54) 99983-5959. WhatsApp: (51) 99749-4400. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios

Posts Relacionados