Blog

Novidades e conteúdo exclusivo sobre controle de pragas.

Você sabe que cupins causam danos às peças de madeira. Os animais se alimentam de celulose, então corroem as estruturas até deixá-las ocas. Porém, essa não é a única praga que representa perigo ao patrimônio. Algumas espécies de formigas deixam um rastro semelhante de destruição.

Para completar, elas são predadoras de outros insetos. O resultado pode ser uma infestação cruzada de difícil controle.

Por isso, é necessário investir numa dedetização completa, capaz de afugentar tanto cupins quanto formigas. Como cada criatura requer o manejo de substâncias específicas, a aplicação de inseticidas comuns dificilmente resolve o problema. Continue conosco e veja o que fazer para evitar prejuízos.

Formiga-de-cupim também ataca a madeira

As formigas do gênero Camponotus são consideradas uma praga urbana bastante comum. Popularmente, elas ganham diversos nomes, como traguá, sarassará, sararau, formiga-doceira e formiga-de-cupim.

Quando habitam as regiões florestais, elas ocupam cupinzeiros abandonados ou entrenós de bambus. Também podem estar em troncos de árvores podres.

Na cidade, a preferência é por estruturas de madeira danificadas. Qualquer fenda na parede de um chalé ou no forro de um sótão serve para instalar a colônia. Outros lugares suscetíveis à infestação são lareiras, portas, assoalhos, decks e galpões.

Isso acontece principalmente nas áreas com alguma infiltração ou com acúmulo de água derramada. A umidade amolece as fibras do material, facilitando o trabalho das operárias. Com suas mandíbulas afiadas, as formigas-de-cupim escavam túneis para liberar a passagem das companheiras, expandir a morada e chegar até fontes de alimento.

O curioso é que esses bichos não comem madeira. A dieta prioritária é à base de outros insetos, inclusive cupins. E esses, sim, adoram um estrado de cama ou uma tábua de rodapé no almoço.

Deu para entender a gravidade da situação? Não bastasse o estrago que os cupins já fazem, eles ainda podem atrair predadoras igualmente destrutivas. Assim, você terá que controlar não uma, mas duas pragas.

Saiba mais: Cupim é o pior inimigo da casa de praia

Formigas e cupins: uma relação desarmônica

Formiga e cupim apresentam muitas semelhanças. Ambos são insetos sociais, que vivem em grupos e possuem funções determinadas por uma classificação hierárquica. Há os soldados defensores do ninho, os operários construtores de túneis e os reprodutores, responsáveis pela expansão do contingente.

Apesar dessa proximidade, a relação entre os dois seres tem sido bastante conflituosa. Por exemplo, a formiga Crematogaster striatula consegue matar o cupim a distância, usando um veneno que ela mesma produz. O composto químico paralisa o adversário, que fica sem reação e sucumbe.

Esse comportamento foi observado pela equipe da cientista Angelique Vetillard, da Universidade de Toulouse, na França. Os resultados foram divulgados no periódico acadêmico PLoS ONE.

Outro estudo, conduzido pelas pesquisadoras Anna Carolina Prestes e Hélida Ferreira da Cunha, da Universidade Estadual de Goiás, identificou a coabitação desses inimigos num mesmo ambiente. De 18 cupinzeiros observados, 14 continham cupins e formigas ao mesmo tempo.

Embora não houvesse tanta agressividade entre as criaturas, tampouco havia cooperação. Digamos que cada turma ocupava seu território sem interferir na rotina da outra.

As especialistas reconhecem as limitações do experimento, que foi conduzido em laboratório. Provavelmente, aconteceriam reações distintas na natureza.

Voltando às espécies urbanas, não importa se o cenário é de guerra ou de paz. No fim das contas, você sempre sai em desvantagem. A mera presença de insetos degrada o imóvel. Vigas de madeira perdem o poder de sustentação. Mesas, armários e escrivaninhas se desvalorizam. Pisos corroídos, sem utilidade, precisam ser trocados.

A única maneira de evitar perdas é investir no controle de pragas. Serviços como a desinsetização e a descupinização imunizam o local. No entanto, eles devem ser somados a ações preventivas que explicaremos a seguir.

Saiba mais: Quanto custa uma dedetização?

Como controlar infestação de formigas e cupins

O controle de cupins e formigas se baseia nos quatro As: acesso, abrigo, água e alimento. São esses elementos que garantem a sobrevivência e a proliferação dos insetos. Logo, o esforço consiste em eliminá-los.

Acesso e abrigo

As formigas-de-cupim podem invadir uma edificação por meio de galhos que encostem no prédio. Elas aproveitam rachaduras na fundação ou qualquer brecha. Ainda, escondem-se na lenha que você usa na lareira.

Para evitar infestações, faça a poda de árvores e arbustos do terreno, especialmente se estiverem próximos às paredes ou ao telhado. Junto a isso, descarte tocos apodrecidos e jamais armazene lenha sem inspecioná-la.

Por fim, lembre-se de vedar passagens, da fresta no assoalho às grandes aberturas. Portas e janelas pedem a instalação de telas. Esses acessórios também bloqueiam a entrada das aleluias, os cupins voadores que saem à procura de um par para copular e dar início a uma nova colônia.

Água e alimento

As formigas-doceiras vivem em lugares úmidos, assim como os cupins de solo. Uma dica para afugentar essas criaturas, então, é investir em revestimentos de pedra ou cascalho para melhor drenagem.

Em paralelo, conserte vazamentos e infiltrações. Esses são pontos de contato perigosos.

O alimento do cupim são materiais celulósicos – madeira, papel e tecidos. Já as formigas Camponotus desgastam as estruturas para devorar outros insetos. Ou seja: se todas as precauções falharem e você se deparar com invasores, não faltará comida para eles. Chega o momento de recorrer à dedetização.

Saiba mais: Comece já o controle integrado de pragas na sua empresa

O controle de pragas deve ser realizado por profissionais. Apenas empresas autorizadas podem administrar os domissanitários recomendados pela Anvisa.

Esses produtos atuam nos focos de infestação e criam uma barreira química, impedindo que novos animais se instalem ali. Trata-se de uma ação muito mais eficaz que a dos inseticidas comuns.

O procedimento de desinsetização tem garantia de três meses. Ele é indicado para conter formigas, baratas e outras criaturas, mas não tem efeito sobre cupins.

Por esse motivo, a descupinização utiliza substâncias específicas. A durabilidade do princípio ativo chega a um ano.

Convém renovar os serviços antes do vencimento para que as instalações permaneçam sempre protegidas. Se você tem dúvidas de como proceder, confira nosso artigo sobre o calendário de renovação do controle de pragas.

A Hoffmann tem mais de 30 anos de experiência no ramo. Conquistamos o Selo de Proteção Bayer, atribuído apenas a empresas que respeitam as melhores práticas de segurança sanitária e ambiental.

Conte conosco para o controle de insetos e o controle de cupins e brocas. Entre em contato e solicite um orçamento! Fones: (51) 3545-4999 | (51) 98111-4999 | (54) 99983-5959. Whatsapp: (51) 99749-4400. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios