Blog Imunizadora Hoffmann

Novidades e conteúdo exclusivo sobre controle de pragas.

Se todas as suas tentativas para eliminar moscas falharam, você veio ao local certo. Hoje vamos dar dicas de boas práticas para acabar com os insetos voadores.

Nosso foco são restaurantes, fábricas de alimentos e criadouros de animais, mas é possível aplicar as táticas em qualquer estabelecimento comercial. Confira!

Boas práticas para eliminar moscas

Para falar de métodos de controle de moscas, precisamos ter em mente dois fatores:

1) Sabe por que é possível encontrar larvas de moscas na comida estragada? É que esses seres se alimentam de matéria orgânica em decomposição, incluindo restos de alimentos, fezes e cadáveres de animais, então acabam se reproduzindo ali.

2) Além da comida em decomposição, a umidade também atrai os insetos.

Todas as medidas para afastar as invasoras aladas estão, direta ou indiretamente, relacionadas aos dois pontos que mencionamos. Por isso, deve-se cortar o acesso desses bichos a alimento e água. Assim eles não terão como se proliferar.

Como espantar moscas do ambiente

Abaixo, listamos oito dicas para você manter as moscas longe de seu negócio. Acompanhe:

1. Limpe a caca

Aviários, currais e outras instalações pecuárias atraem bastante mosca. O esterco acumulado nesses espaços é o principal chamariz.

Portanto, se você atua no campo, invista na limpeza periódica dos ambientes de confinamento. Remova os dejetos, bem como os restos de ração dos animais.

Outra solução interessante é realizar a drenagem do terreno. Isso impede que a água parada vire criadouro de insetos.

2. Conserte vazamentos

Falando em água, não é preciso muito líquido para satisfazer os seres indesejados. Bastam algumas gotas para saciar a sede de moscas, baratas e afins.

Nesse cenário, deve-se tomar cuidado com vazamentos em pias, bebedouros e reservatórios. A umidade não só chama pragas, como também eleva a proliferação de fungos no local. Os microrganismos danificam os equipamentos, causando prejuízos materiais, e ainda podem desencadear crises alérgicas em humanos.

Vistorie a área à procura de sinais de vazamento. Constatado o problema, providencie o conserto imediatamente.

3. Descarte o lixo

Você já deve ter visto dezenas de mosquinhas sobrevoando um saco de lixo na rua, certo? Isso acontece porque os restos de comida que são descartados pelas pessoas viram um banquete para a praga.

Em restaurantes ou refeitórios, por exemplo, a quantidade de material orgânico rejeitada diariamente é grande. Imagine quantos insetos podem fazer a festa!

A solução está no descarte correto. Recolha o lixo diariamente e jogue-o numa caçamba ou tonel com tampa. Mantenha esse recipiente longe da área de manipulação de alimentos para eliminar moscas da cozinha.

Saiba mais: Moscas são o terror da indústria alimentícia

4. Instale barreiras de vento

Mesmo que você tome cuidado para remover o lixo, existem outros atrativos para as moscas. O aroma da carne crua do açougue ou o cheirinho de pão quente da padaria são levados pelo vento, indicando aos insetos que há comida ali.

Pois é justamente o vento que também pode barrá-los. Ventiladores são um ótimo recurso para afastar as moscas.

Além deles, as cortinas de ar criam um fluxo poderoso, dificultando o voo das intrusas. Instale-as nas portas de entrada e saída do empreendimento.

5. Proteja-se com telas

As telas milimetradas são uma alternativa bastante eficaz para afugentar moscas, mosquitos e demais criaturas. Elas devem ser instaladas nas portas e nas janelas para impedir o acesso dos insetos da rua até a área interna.

Ainda, lembre-se de telar exaustores, passagens de ar e ralos. Essas estruturas funcionam como rotas de fuga para os seres indesejados.

6. Use a armadilha luminosa

A exemplo de outros bichos, as moscas se guiam pela luminosidade dos ambientes. Elas têm hábitos diurnos, sendo o sol a grande referência.

Pois a armadilha luminosa usa lâmpadas ultravioleta para imitar o astro rei. Dessa forma, as voadoras acabam indo em direção ao aparelho.

Quando chegam ao destino, as moscas ficam presas numa tira adesiva. Não são usados venenos químicos e os insetos não se fragmentam. Ou seja: trata-se de um jeito seguro e higiênico de combater a praga. Confira, no vídeo abaixo, um caso real de uso de armadilha luminosa para eliminar moscas.

7. Lave cada cantinho

Com frequência, no dia a dia da labuta, a gente se esquece de alguns detalhes. Quando você varreu atrás do refrigerador pela última vez? E o sifão da pia, há quantas semanas não passa por uma limpeza mais cuidadosa?

Os “pontos mortos” dos equipamentos, as tubulações e os depósitos de materiais costumam receber menos atenção. É normal. Ainda assim, você deve investir em faxinas mais pesadas nesses lugares. A higienização espanta tanto moscas quanto baratas, ratos e outras criaturas que possam infestar seu estabelecimento.

Ah, e não se esqueça de secar bem as superfícies! Lembra-se do que falamos sobre a umidade, lá no início do post? Pois é.

8. Recorra a repelentes caseiros

Se, mesmo tomando todos os cuidados anteriores, as moscas insistirem em aparecer, há soluções que podem afugentá-las. Acender uma vela de citronela ou espetar cravo no limão, por exemplo, são opções para ambientes pequenos e sem muita circulação de ar.

Aliás, aqui no blog, temos um post inteiro dedicado a receitas contra insetos. Clique no link ao lado e confira!

E lembre-se: apesar de pequenas no tamanho, as moscas causam danos grandes. Você precisa saber mais sobre as consequências dessa praga, principalmente no ramo alimentício. Confira, no vídeo a seguir, as principais doenças transmitidas pelas invasoras.

Como eliminar moscas de ralo

Além da mosca-doméstica (Musca domestica), das moscas-das-frutas e da varejeira (Cochliomyia hominivorax), que são as espécies mais predominantes nas cidades, também é importante cuidar das moscas de ralo.

Apesar do nome, essa espécie da família Psychodidae é um parente mais próximo do mosquito-palha, transmissor da leishmaniose.

A semelhança entre as criaturas causa confusão e certo temor. Porém, a também chamada mosca de banheiro, mosca de esgoto ou mosca de filtro não apresenta risco à saúde, ao contrário do “primo”.

Esse inseto inconveniente se reproduz em áreas úmidas. A fêmea deposita entre dez e 200 ovos de uma única vez. Os locais escolhidos geralmente são ralos, canos de esgoto, pias, junções de vasos sanitários, frestas de azulejos, canaletas e boxes.

Esses ambientes concentram matéria orgânica: fungos, restos de pele e pelos. Com o tempo, cria-se uma camada gelatinosa de resíduos – e é dessa gosma que as larvas se alimentam.

As mosquinhas de ralo ficam adultas em cerca de duas semanas. Como não passam de dois milímetros de tamanho e voam com irregularidade, a tendência é que permaneçam nas áreas de origem. No caso, cozinhas e banheiros.

Imagine o constrangimento de ter uma nuvem de insetos rondando o lavabo da loja ou o entorno do restaurante. Sinal de desleixo e falta de higiene!

Bem, mas quais são as soluções para eliminar moscas de esgoto? A prevenção começa pela limpeza dos recintos. Deve-se escovar as bordas dos ralos e secar o piso com regularidade.

Outra medida importante é identificar e consertar possíveis infiltrações. A umidade favorece a proliferação de fungos, fornecendo alimento de sobra para as larvas evoluírem à fase adulta.

Uma faxina mais pesada, com água sanitária ou outro produto que contenha cloro, também ajuda.

Invista na desinsetização para eliminar moscas

Todos os manuais de boas práticas para o controle de moscas recomendam que seja feita a desinsetização. Esse serviço, conhecido popularmente como “dedetização”, cria uma barreira protetora no recinto. A ação é curativa (para eliminar infestações existentes) e preventiva (para impedir que novos insetos se criem).

No entanto, vale destacar que a aplicação de inseticidas comuns pode causar contaminações nas indústrias e empresas do ramo alimentício.

É por isso que as imunizadoras utilizam domissanitários. São substâncias autorizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e que, quando empregadas da maneira correta, não representam risco ao meio ambiente.

Apenas companhias credenciadas podem utilizar domissanitários. Portanto, verifique se a equipe tem licença para atuar no controle de pragas. No Rio Grande do Sul, o órgão responsável por autorizar e fiscalizar essa atividade é a Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luís Roessler (Fepam).

Veja também: Qual é a origem da palavra dedetização?

Quer saber mais sobre controle sanitário e boas práticas no setor alimentício? Então confira a Portaria nº 326, da Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde, e a RDC 216, da Anvisa. Os documentos oficiais estabelecem diretrizes para uma atuação segura na produção, no transporte e na comercialização de alimentos.

Aproveite, ainda, para conhecer o serviço de controle de insetos da Hoffmann. Nós seguimos todas as precauções necessárias para imunizar indústrias, lojas e restaurantes, preservando a saúde das pessoas e o meio ambiente.

Acabe com infestações de uma vez por todas! Entre em contato conosco e solicite um orçamento para dedetização de moscas.

Fones:  (51) 3545-4999 | (51) 98111-4999 | (54) 99983-5959WhatsApp: (51) 99749-4400. Atendemos ao estado do Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar por E-mail
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Pinterest

Posts Relacionados