(51) 3545-4999 | (51) 98111-4999 | (54) 99983-5959 | (51) 99749-4400

Blog

Novidades e conteúdo exclusivo sobre controle de pragas.

A indústria alimentícia corre um perigo constante: a contaminação por micro-organismos. Isso acontece porque os insumos são um chamariz para formigas, baratas e ratos, entre outras criaturas transmissoras de doenças.

Sendo assim, empresas do ramo precisam recorrer ao controle de pragas. O serviço protege depósitos, cozinhas e linhas de produção sem comprometer a qualidade dos produtos. Para tanto, porém, é necessário escolher a imunizadora certa.

Controle de pragas na indústria alimentícia

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) até permite a presença de fragmentos de insetos em alimentos industrializados. Um ou outro bichinho podem escapar, o que não chega a comprometer a integridade da produção.

No entanto, o órgão reitera que se devem observar normas de higiene e segurança. Do contrário, pode haver contaminação do ambiente – e, por consequência, dos alimentos ali manipulados. Comprovado o risco à saúde dos consumidores, o local pode sofrer penalidades, como multas e até a interdição das operações.

Quer conhecer quais são os principais sinais que você deve estar atento em seu negócio? Acesso o infográfico abaixo e saiba como estar protegido das pragas.

A Portaria nº 326, da Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde, estabelece boas práticas para a indústria de alimentos. O texto define diretrizes referentes ao transporte de matéria-prima, à limpeza das unidades e ao descarte do lixo, por exemplo. Tratam-se de regras que devem ser obedecidas por qualquer companhia do ramo.

No item 4.4, o documento fala especificamente do controle de pragas ou doenças. Segundo a portaria, o tratamento com agentes químicos deve ocorrer “sob a supervisão direta do pessoal tecnicamente competente que saiba identificar, avaliar e intervir nos perigos potenciais que estas substâncias representam para a saúde”.

Portanto, não adianta aplicar qualquer veneno e achar que a área está livre de ratos e baratas. Você precisa contar com o auxílio de uma equipe especializada, capaz de identificar ameaças e propor soluções efetivas.

Como escolher a imunizadora certa

Os procedimentos de desinsetização, desratização e descupinização utilizam substâncias de uso controlado. Qualquer superdosagem pode causar intoxicação.

Dessa forma, os profissionais encarregados do serviço precisam seguir manuais de boas práticas criteriosos. Além do cuidado na aplicação dos produtos, eles vestem equipamentos de proteção individual e isolam o perímetro, impedindo a entrada de pessoas não autorizadas.

Confira nosso Manual de Recomendações sobre o Serviços e entenda como devem funcionar as boas práticas em seu ambiente.

Ao contratar uma imunizadora, verifique se a empresa tem licença dos órgãos competentes. No Rio Grande do Sul, são entidades como a Anvisa e a Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler (Fepam).

Exija, também, um período de garantia com assistência técnica incluída. Afinal, insetos e roedores se escondem com facilidade, podendo escapar mesmo às inspeções mais minuciosas. Nesses casos, se houver infestação, a equipe retorna ao local para resolver o problema.

Ainda tem dúvidas sobre o controle de pragas em indústrias alimentícias? Entre em contato com a Hoffmann. Fones: (51) 3545-4999 | (51) 98111-4999 | (54) 99983-5959. Whatsapp: (51) 99749-4400. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios