Blog Imunizadora Hoffmann

Novidades e conteúdo exclusivo sobre controle de pragas.

Quando foi a última limpeza de caixa d’água em sua residência ou seu estabelecimento comercial? A pergunta serve de alerta, pois esse tipo de equipamento requer manutenção periódica.

É que, ao longo dos meses, matéria orgânica vai se acumulando no interior do reservatório, podendo causar mau cheiro, deteriorar as estruturas e até mesmo desencadear doenças. Porém, não adianta só lavar com esponja. Algumas ameaças invisíveis provavelmente vão continuar ali.

Ou seja, você deve buscar soluções específicas para realizar o procedimento de higienização com segurança. O artigo de hoje traz todas as dicas. Siga conosco!

Água tratada não garante limpeza do reservatório

Em agosto de 2018, os moradores de Taquara/RS viveram dias de transtorno. Um deslizamento de terra interrompeu o abastecimento de água em vários bairros do município.

Um morro cedeu e deslocou o encanamento subterrâneo, causando rompimentos. Técnicos da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) providenciaram máquinas vindas de Porto Alegre para realizar o conserto. No entanto, mesmo após a finalização dos trabalhos, os problemas persistiram.

O barro do morro havia se misturado à água tratada. Quando o líquido voltou a jorrar nas torneiras das casas, era escuro e espesso. Imagine a quantidade de sujeira que ficou depositada nos reservatórios.

E esse é apenas um episódio que ilustra possíveis complicações. Acontece que, algumas vezes, as consequências não são tão visíveis num primeiro momento.

Limpeza de caixa d’água ajuda na manutenção do equipamento

Por mais que a água da rede de abastecimento seja tratada, ela não chega completamente pura ao reservatório. Há material biológico ali, como algas, minerais e microrganismos.

Com o tempo, esses elementos criam uma espécie de lodo nas paredes internas do recipiente. As incrustações escuras vão se acumulando, o que torna a manutenção cada vez mais difícil.

A consequência da falta de limpeza da caixa d’água são pequenas fissuras. Em casos graves, as rachaduras levam a infiltrações, dando margem para problemas bem sérios.

Já pensou se o reservatório estoura? É prejuízo na certa.

A mera concentração de minerais na fonte já ocasiona perdas. Esses elementos alteram a chamada dureza da água. No longo prazo, isso provoca avarias nos utensílios de cozinha, além de dificultar a ação de detergentes.

Fica a dica: a Corsan disponibiliza para consulta os indicadores da qualidade da água distribuída no Rio Grande do Sul. Você pode conferir os dados no site da instituição.

Saiba mais: Qualidade da água na indústria alimentícia diminui risco de intoxicação

Higienização de reservatório também faz bem à saúde

Outro ponto importante diz respeito à saúde de quem consome a água do reservatório. Para abordar o assunto, devemos falar mais uma vez dos microrganismos vivendo nesse ambiente.

Estamos nos referindo a bactériasprotozoários e outros patógenos. Muitos deles são eliminados ainda na estação de tratamento, mas alguns conseguem se proliferar na caixa d’água, especialmente se houver sujeira.

Já a captação feita em poço artesiano é um caso à parte. Como nem sempre há monitoramento das autoridades sanitárias, o risco de contaminação por micróbios fica mais elevado.

Agora imagine beber ou mesmo cozinhar usando água contaminada por Salmonella e E. Coli. Risco grave, né? As pessoas podem ter intoxicação alimentar, febre tifoide, gastroenterite e outras doenças do sistema digestivo.

Abaixo, confira um vídeo onde mostramos o nível de sujidade presente no interior de caixas d’água novas, instaladas há apenas 6 meses da data do vídeo, em um hotel de Porto Alegre. Confira, também, como ficou o resultado após a limpeza.

Quando fazer a limpeza da caixa d’água

As autoridades sanitárias recomendam que a limpeza da caixa d’água seja feita pelo menos a cada seis meses. Esse é o tempo para impedir que as incrustações escuras, resultantes do acúmulo de material biológico, danifiquem ainda mais o equipamento.

Caso o reservatório passe anos sem qualquer tipo de manutenção, pode haver fissuras e até infiltrações. Nesse ponto, você estará abrindo brecha para inconvenientes graves.

Água limpa e parada é o ambiente ideal para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, por exemplo. O inseto é um conhecido vetor de enfermidades, tais como dengue, zika, chikungunya e febre amarela.

Saiba mais: Como se proteger da dengue

Outras pragas também podem invadir o reservatório para saciar a sede. Baratas, pombos e ratos são apenas algumas delas. Todos esses seres costumam carregar fungos, bactérias e outros agentes nocivos à saúde humana.

Sem contar que criaturas maiores podem se afogar na caixa d’água. Não é raro observar pedaços de bichos mortos, já em estado de decomposição, nos recipientes que apresentam conservação precária.

Portanto, limpar o reservatório regularmente é uma atitude indispensável para preservar tanto seu patrimônio material quanto a saúde das pessoas. A higienização em dia ainda garante a longevidade do equipamento, de forma que você não precisa arcar com conserto nem substituição de peças.

Como realizar a limpeza de caixa d’água

Agora que já explicamos a importância de limpar a caixa d’água, resta ensinar como fazer a higienização correta. Na sua residência, a operação é relativamente simples. Perceba no passo a passo abaixo:

1. Esvazie o reservatório

A primeira ação que você deve executar é o esgotamento do líquido que estiver no interior do recipiente. Durante a higienização, o nível de água precisa ficar abaixo dos 20 cm de altura.

Programe-se para evitar desperdícios. Antes da limpeza, feche os registros e consuma a água normalmente para diminuir a quantidade no reservatório. Se não for possível esvaziar tanto, armazene o excedente em galões para utilizar na lavagem de roupas ou na faxina da casa posteriormente.

2. Esfregue o interior da caixa d’água

Ao limpar caixa d’água de amianto, use um pano ou uma esponja macia para esfregar a parte interna do reservatório, removendo as incrustações de sujeira. Faça isso tanto nas paredes quanto no fundo da estrutura.

No caso de uma caixa d’água de concreto/cimento, substitua o pano por uma escova de fibra vegetal. Pode ser uma vassoura de piaçava. Em seguida, esfregue vigorosamente.

Não vale utilizar abrasivos, hein? Esponja de aço, escova com cerdas metálicas ou mesmo detergentes devem ser deixados de lado, pois comprometem a integridade do equipamento.

3. Reabasteça o reservatório

Terminada a limpeza da caixa d’água, você deve vedá-la e reabastecê-la com água potável. Aguarde pelo menos meia hora para retomar o consumo.

Dica: enquanto o procedimento estiver em andamento, mantenha as torneiras fechadas e não acione as descargas dos banheiros. Esse cuidado serve para prevenir a entrada de ar nos canos.

Limpeza de Caixa d'Água - Imunizadora Hoffmann

Quando usar ajuda profissional na limpeza da caixa d’água

Está na legislação gaúcha: conforme a Lei nº 9.751/92, todos os prédios públicos e particulares do Rio Grande do Sul têm que assegurar os padrões de potabilidade da água para o consumo humano. A inobservância da regra pode render multa ou a interdição de estabelecimentos comerciais.

É por esse motivo que recomendamos o auxílio de uma empresa especializada para a limpeza de caixa d’água industrial, empresarial ou em condomínio de moradia. Os profissionais utilizam compostos para a desinfecção bacteriológica do reservatório. São produtos específicos para a função, que não danificam as estruturas internas, não agridem o meio ambiente e muito menos põem em risco a saúde dos consumidores.

Junto a isso, cabe lembrar que os reservatórios de certas edificações ficam em locais de difícil acesso. Quando se trata de um prédio comercial, uma planta fabril ou mesmo um residencial, às vezes é necessário subir no telhado ou escalar uma torre para chegar ao equipamento.

Nessas situações, a equipe responsável pela limpeza de caixa d’água precisa de treinamento específico para trabalho em altura. Além disso, deve observar alguns protocolos de segurança, como o uso de equipamentos de proteção.

Saiba mais: Quem paga pela limpeza da caixa d’água, inquilino ou proprietário?

Se você não dá conta do serviço, chame a Hoffmann. Nossos colaboradores seguem manuais de boas práticas para uma higienização de reservatório segura e eficiente.

Ao fim do processo, emitimos relatório do atendimento prestado. Esse laudo será útil se porventura houver fiscalização da Vigilância Sanitária.

Para sua comodidade, também oferecemos a modalidade contratual. Nesse tipo de acordo, em vez de acionar a empresa uma única vez, o cliente estabelece datas para visitas futuras, o que inclusive pode diminuir o custo da limpeza da caixa d’água no longo prazo.

A periodicidade fixa facilita o planejamento das atividades. Você organiza o calendário de manutenção com meses de antecedência, de acordo com as necessidades de seu negócio. Assim, o serviço pode ser setorizado, sem corte total do abastecimento, ou então marcamos a operação para um dia de folga dos funcionários.

A assistência técnica da Hoffmann é garantida durante todo o período de vigência do contrato. Quer saber mais? Procure-nos e solicite um orçamento para higienização de reservatórios de água. Fones:  (51) 3545-4999 | (51) 98111-4999 | (54) 99983-5959WhatsApp: (51) 99749-4400. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar por E-mail
  • Compartilhar no LinkedIn

Posts Relacionados