Blog

Novidades e conteúdo exclusivo sobre controle de pragas.

As pragas urbanas causam muitos estragos. Elas danificam os móveis, contaminam alimentos e podem até transmitir doenças aos seres humanos. Por isso, se você enfrenta problemas com baratas, formigas e outros bichos, deve recorrer à desinsetização de ambientes, a medida mais eficaz para conter infestações.

Hoje vamos responder às principais dúvidas sobre o assunto. Será que a imunização agride o meio ambiente? Como escolher a dedetizadora certa? Fique conosco e saiba tudo sobre o controle de insetos.

Desinsetização e dedetização são a mesma coisa?

O termo “dedetização” era associado ao diclorodifeniltricloroetano (DDT). Esse veneno era pulverizado nas lavouras para combater mosquitos e outros parasitas. Porém, devido à alta toxicidade, o produto foi proibido no Brasil em 2009.

É por esse motivo que as imunizadoras preferem adotar a palavra “desinsetização”. Afinal, não se usa DDT, mas, sim, saneantes desinfestantes autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os domissanitários modernos são biodegradáveis, então não deixam resquícios na natureza.

Saiba mais: Não é dedetização: é controle de pragas

Isso significa que o controle de insetos é seguro?

Sim, desde que executado por uma equipe capacitada. Os desinfestantes continuam sendo tóxicos à saúde humana. Portanto, é necessário seguir normas de segurança para administrá-los.

Os profissionais que atuam no controle de pragas passam por treinamento específico para manusear essas substâncias. Eles também vestem equipamentos de proteção individual (EPIs) durante o trabalho, tais como máscaras de respiração e luvas.

Vale lembrar que, no Rio Grande do Sul, as dedetizadoras precisam ter licença da Fepam (Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler). O órgão é responsável por regular e fiscalizar a atividade dessas companhias.

Saiba mais: 5 dicas para escolher a dedetizadora

Como funciona a desinsetização de ambientes?

Isso depende da espécie invasora e do grau de infestação do local. Primeiro, a equipe realiza uma investigação técnica para encontrar possíveis núcleos de colônias de insetos. Uma vez que se saiba quais criaturas estão por ali, pode-se definir a melhor estratégia para combatê-las.

Essa medida é importante porque cada praga demanda uma solução específica. O veneno que mata pulgas não é o mesmo que funciona contra aranhas, por exemplo.

A aplicação de desinfestante em gel costuma ser eficaz para afastar baratas e formigas. Esse produto é bastante utilizado em hospitais, escolas e unidades do setor alimentício. Além de ser inodoro, ele dispensa a desocupação da área. Ou seja: o estabelecimento continua aberto ao público mesmo durante a execução do serviço.

Outra alternativa que não atrapalha a rotina das empresas é a instalação de armadilhas luminosas. Esse aparato recorre à luz ultravioleta para atrair insetos fotossensíveis, como mosquitos, moscas e mariposas. Os animais ficam presos num refil adesivo – por inteiro, sem liberação de fragmentos no ar.

Para situações mais complicadas, em que a infestação já atingiu um nível alto, a desinsetização é feita com aplicação líquida. Nesses casos, é preciso isolar o perímetro por um período mínimo de 12 horas.

Como se preparar para a desinsetização com aplicação líquida?

Empreendimentos comerciais ou industriais devem encontrar uma data conveniente para a imunização. Em geral, escolhe-se uma época de baixo movimento, ou um turno em que a produção não esteja a pino.

Para organizações maiores, com grandes galpões e armazéns, a desinsetização pode ser escalonada. Isola-se um setor de cada vez, de modo que as operações não fiquem completamente paralisadas.

Saiba mais: Qual é a época certa para o controle de cada praga urbana?

A principal precaução anterior à dedetização é proteger utensílios pessoais. Eletrodomésticos, itens de higiene e materiais de cozinha, inclusive alimentos, devem ser guardados em caixas ou armários fechados. Outra opção é cobrir as superfícies com panos.

Plantas, animais e pessoas precisam ser retirados do ambiente. Durante a aplicação do desinfestante líquido, apenas pessoal autorizado pode permanecer no recinto.

Após o procedimento, o local permanece fechado por 12 horas. Esse é o tempo para a substância agir. Em seguida, deve-se abrir portas e janelas para favorecer a circulação de ar. A área estará pronta para ser reocupada duas horas depois.

Importante: animais domésticos, plantas e pessoas alérgicas devem permanecer afastados por pelo menos 24 horas. Para mais informações, consulte o manual de recomendações da imunizadora.

Manual de Recomendações

O efeito da desinsetização é permanente?

Os saneantes desinfestantes têm ação residual, isto é, mantêm-se ativos por semanas. Aliás, é bem comum que apareçam insetos mortos vários dias após a imunização do lugar, uma vez que o efeito do produto ainda perdura.

No entanto, esses domissanitários têm vida útil limitada. É importante reforçar a dose periodicamente.

A renovação do controle de insetos a cada três meses garante que a edificação continue livre de infestações. Assim, o que era um trabalho curativo (eliminar pragas) passa a ser um esforço preventivo, impedindo que novos invasores se aproximem.

Ressaltamos que o prazo de três meses é uma sugestão. Ele pode variar conforme o tamanho, a localização geográfica e as atividades que são conduzidas naquele território. Empresas do ramo de alimentos, como padarias e restaurantes, são orientadas a investir no controle de pragas com mais frequência.

Saiba mais: Orientações para o controle de pragas na indústria alimentícia

O que fazer, além da desinsetização, para controlar pragas?

A desinsetização com químicos é tão somente um elemento do chamado controle integrado de pragas. Essa abordagem prevê uma série de cuidados para impedir que as criaturas indesejadas causem prejuízos. Outras medidas incluem:

Recolher o lixo diariamente, mantendo-o em latões com tampa;

Higienizar o chão, as prateleiras e as bancadas de trabalho sempre que necessário;

Instalar telas protetoras em janelas, ralos, portas, exaustores e saídas de ventilação, criando uma barreira física contra insetos que venham da rua (especialmente baratas);

Não deixar água parada em calhas, vasos de plantas e demais objetos, pois viram criadouros do mosquito da dengue;

Armazenar alimentos dentro da geladeira ou em recipientes fechados.

Onde encontrar dedetizadora no Rio Grande do Sul?

A Hoffmann possui mais de 30 anos de experiência em controle de pragas. Fomos a primeira empresa do Estado a conquistar o Selo de Proteção Bayer, certificação internacional que comprova a excelência de nossos serviços. Investimos em capacitação técnica e em equipamentos de ponta para oferecer os melhores resultados, com eficiência, segurança e proteção ambiental.

Entre em contato conosco e solicite um orçamento para desinsetização / controle de insetos. Fones: (51) 3545-4999 | (51) 98111-4999 | (54) 99983-5959. Whatsapp: (51) 99749-4400. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios