Blog Imunizadora Hoffmann

Novidades e conteúdo exclusivo sobre controle de pragas.

Ah, o fim do ano! Dias mais longos, temperaturas em elevação, flores desabrochando… Parece um cenário de pura beleza, né? Porém, nessa época, os insetos da primavera também ficam mais ativos. Inclusive, é por tal motivo que chamamos este período de estação das pragas.

A explicação está na biologia dos seres nojentos. O aumento da temperatura e da umidade acelera o metabolismo dessas criaturas, tornando seu ciclo reprodutivo mais rápido. O resultado é aterrorizante: revoadas de cupins, fileiras de formigas na cozinha e baratas invadindo a casa são apenas algumas das possibilidades.

Quem dera as borboletas fossem os únicos insetos primaveris. Infelizmente, a realidade nas cidades está bem distante desse cenário de paz. É por isso que você deve aproveitar o momento para investir no controle preventivo de pragas.

A seguir, vamos explicar como você pode planejar o calendário de imunização conforme as estações do ano. Aproveite as dicas e livre-se para sempre dos invasores!

Qual é a estação certa para o controle de cada praga urbana?

Prevenir infestações é mais fácil que eliminar pragas já instaladas. Portanto, nossa dica de hoje consiste em aproveitar o calendário de maneira estratégica. Cada estação do ano pode ser favorável para o controle de uma praga específica. Fique de olho nas explicações abaixo para entender os detalhes.

Insetos na primavera: tempo de reprodução

A partir de setembro, acontece o período de chuva e temperaturas em elevação. Tanto ratos quanto insetos na primavera passam a se reproduzir com mais frequência, dando origem a novas colônias, cujo pico de atividade será na estação seguinte.

Para evitar prejuízos, vale investir numa ação preventiva. Recomendamos, por exemplo, que o controle de ratos (desratização) seja realizado antes desse período de acasalamento. Caso contrário, a praga pode se alastrar, exigindo medidas mais trabalhosas (e caras) para se conter o avanço.

Verão: auge das pragas urbanas

O calor do verão estimula o metabolismo dos insetos e favorece, principalmente, a ação de formigas e baratas. Além de “mais dispostas” para sair em busca de comida, elas encontram alimento em abundância na natureza. Dessa forma, os insetos se multiplicam rapidamente, o que aumenta a chance das colônias invadirem condomínios, lojas, fábricas, restaurantes, boates e postos de saúde.

Trata-se de um risco sanitário, pois essas criaturas podem carregar fungos e bactérias. Ou seja: são capazes de espalhar doenças por onde passam. A solução está no controle de insetos (desinsetização).

Saiba mais: As 5 picadas de inseto mais comuns no verão

Outono: procura por abrigo

O retorno do frio faz com que as aranhas busquem locais secos e quentinhos para se abrigar. Para elas, tanto faz que esse espaço seja o tronco de uma árvore ou uma fresta no roupeiro do seu quarto. Desse modo, já dá para se preocupar com o controle de aracnídeos, principalmente se você mora numa região arborizada, como a Serra Gaúcha.

Inverno: época de prevenção

Com as temperaturas baixas, a maioria das pragas urbanas entra num estado semelhante ao da hibernação. O organismo desses seres diminui o ritmo, fazendo com que as colônias não se espalhem tão rapidamente.

Esse é um momento ótimo para o controle de cupins e brocas (descupinização), por exemplo. O procedimento elimina possíveis focos de infestação e impede a chegada de novas revoadas, muito comuns na primavera. O efeito dura até um ano.

Saiba mais: Mitos e curiosidades sobre baratas

Como prevenir infestações de insetos na primavera? (e nas outras estações)

A melhor forma de ficar livre dos insetos o ano todo é montando um calendário de renovação do controle de pragas. É importante ressaltar que a vida útil das substâncias utilizadas no controle de pragas é limitada. A eficácia vai de três meses a um ano, podendo variar segundo o tipo de produto aplicado, o tamanho da área e o nível de infestação. Por isso, não basta se preocupar com os insetos da primavera ou as aranhas do outono. Convém renovar o serviço de imunização ainda durante o prazo de garantia.

Para o efeito permanecer ativo, recomenda-se a seguinte frequência de renovação:

– Controle de aracnídeos: a cada três meses;

– Controle de insetos: a cada quatro meses;

– Controle de ratos: a cada quatro meses;

– Controle de cupins e brocas: uma vez ao ano.

Com base nesse período de garantia, você deve agendar a renovação do serviço para antes do vencimento. Consulte a imunizadora e verifique, também, qual será a ação necessária. Essa medida serve para planejar os procedimentos anteriores à desinsetização.

Por exemplo, a aplicação líquida demanda evacuação do local por 12 horas. Pertences pessoais devem ser guardados em armários. Plantas e animais também precisam ser retirados da área.

Essas questões devem ser antevistas. Numa empresa, provavelmente será preciso executar a função num dia de baixo movimento.

Já a aplicação em gel, as armadilhas luminosas para insetos noturnos e a instalação de iscas para desratização não interferem na rotina da firma. Os serviços podem ser realizados durante o expediente.

Ainda, cabe renovar a higienização de reservatórios a cada seis meses. Nesse caso, o fornecimento de água é interrompido por algumas horas. Logo, convém realizar o procedimento em épocas mais frias, quando o consumo diminui.

Saiba mais: Quem paga pela limpeza da caixa d’água? Inquilino ou proprietário?

Por que renovar os serviços de controle de pragas

Manter seu local de trabalho livre de ameaças é uma questão de saúde pública. Baratas e ratos, por exemplo, são vetores de doenças graves. Eles podem contaminar objetos e deflagrar verdadeiras epidemias.

Restaurantes, armazéns e outras empresas do ramo alimentício são particularmente sensíveis a essa questão. O mesmo vale para farmácias e indústrias de medicamentos. Não é de se admirar que existam regulamentações tão rígidas para a higienização desses locais. E a fiscalização da Vigilância Sanitária pode ocorrer a qualquer momento.

No entanto, a preocupação deve se estender aos demais negócios. Em primeiro lugar, porque a presença de moscas no banheiro depõe contra a imagem da casa. É sinal de desleixo. Segundo, porque cupins e outras criaturas destroem o patrimônio, gerando prejuízos com reformas e substituição de móveis.

É por essa razão que o controle preventivo de pragas se torna tão importante. Sem ele, pode-se até perder o alvará de funcionamento do local.

Precisa de ajuda com a imunização? Conte com a Hoffmann, empresa com mais de 30 anos de experiência em controle de pragas.

Fomos a primeira imunizadora do estado a conquistar o Selo de Proteção Bayer, certificação internacional que comprova a excelência de nossos serviços. Também temos licença da Fepam para conduzir as atividades com segurança e responsabilidade ambiental.

Entre em contato conosco e solicite um orçamento para controle de insetos, controle de ratos ou controle de cupins. Fones: (51) 3545-4999 | (51) 98111-4999 | (54) 99983-5959WhatsApp: (51) 99749-4400. Atendemos em todo o Rio Grande do Sul.

Orçamentos para Controle de Pragas, Sanitização e Higienização de Reservatórios
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar por E-mail
  • Compartilhar no LinkedIn

Posts Relacionados